Roteiros

Do coração da cidade à periferia, passando pelas zonas rurais do concelho, pela serra, rio e ou estuário, os pontos de interesse multiplicam-se a cada passo dado, a cada virar de esquina, a cada pedalada. A pé ou de carro, de bicicleta ou numa embarcação há um Mundo para descobrir. Estas são apenas algumas sugestões, porque o ideal é que descubra por si os encantos desta região! Se precisar de ajuda, consulte o mapa abaixo.

Baixa da Cidade

No Centro Histórico de Setúbal, cada rua, prédio, fachada, calçada ou varanda é um pedaço da memória da cidade.

Aqui, o passado recua até aos períodos fenício e romano, mas uma viagem pela Baixa é mais do que uma lição de História; é passear também numa vasta zona comercial a céu aberto.

A cinco minutos da Praça de Bocage, o centro da zona histórica, encontra-se o Convento de Jesus – classificado como Monumento Nacional – onde funciona o Museu de Setúbal. Outro ponto de interesse é a Igreja de Jesus, considerada o primeiro ensaio no País de uma igreja-salão. 

Do convento segue-se em direção à Praça de Bocage, verdadeiro ponto de partida para se conhecer a Baixa. A partir daqui, o século XXI convive intimamente com legados romanos e medievais.

Rodeada de esplanadas, a Igreja de S. Julião exibe o rico pórtico manuelino, em que figuras gravadas na pedra há cerca de 500 anos observam diariamente a venda de artesanato.

Um antigo posto de informação turística, atualmente espaço que agrega a oferta nas vertentes de turismo de natureza, gastronomia e enoturismo em torno da centralidade da Arrábida, também merece uma visita porque o chão, em vidro, desvenda uma antiga fábrica romana de salga de peixe.

Próximo, no Largo de Santa Maria, encontra-se a sé catedral de Santa Maria da Graça, templo que tem como vizinho a Casa do Corpo Santo/Museu do Barroco. Seguindo em direção à Avenida Luísa Todi, não deixe de admirar a Casa do Leão. 

Na Avenida Luísa Todi, a Baixa fica para trás e merece mais uma incursão. Há muito mais para descobrir e Setúbal pede ao visitante que o desvende com gosto e tempo.

Arrábida e Praias

Visitar a serra, classificada como Parque Natural, significa um misto de encontro com a Natureza e ir a banhos nas águas de azul cristalino das praias de areia fina que se espalham pelo sopé virado para o Atlântico.

A da Figueirinha, há mais de uma década distinguida anualmente com a Bandeira Azul, é das maiores e das mais procuradas pelos visitantes. Porém há pequenos refúgios, verdadeiros enclaves por entre a silhueta da serra, tais como Galapos e Galapinhos – considerada em 2017 a praia mais bonita da Europa -, que podem seduzir aqueles que procuram o sossego de locais mais isolados. Pelo caminho, defronte ao areal do Creiro, a curiosa Pedra da Anicha rasga a “planície oceânica”, emergindo por entre a água e oferecendo refúgio a diferentes espécies marinhas, motivo pelo qual foi classificada como Reserva Zoológica. Em terra, para os amantes de História, existe a oportunidade de visitar a estação arqueológica do Creiro, local de vestígios de um complexo industrial romano de salgas de peixe.

No caminho de acesso ao Portinho da Arrábida – uma das “7 Maravilhas Naturais de Portugal”, fica a Lapa de Santa Margarida, que se atinge descendo uma longa escadaria que serpenteia a encosta até ao nível do mar. Aqui foram encontrados os mais antigos vestígios da presença do Homem na serra, remontando ao Paleolítico Inferior.

Subindo a serra, pela estrada panorâmica, vai-se ao encontro de paisagens deslumbrantes. Vários miradouros naturais surgem como que do nada por entre as curvas da Arrábida e apetece encostar o carro a cada cinco minutos.

No coração da serra admire-se o Convento da Arrábida, que, desde 1542, salpica harmoniosamente de branco a encosta verdejante.

De volta a Setúbal, pelo topo da serra, justifica-se uma paragem nos miradouros ao longo da estrada.

Azeitão

Foi sobretudo a partir do século XV que Azeitão ganhou prestígio, com a instalação de famílias nobres. As quintas, os palácios e as fontes que se espalham por este território são testemunhos desses tempos.

Hoje, vale pela paz bucólica, pelo peso da História patente em cada edifício, pela simpatia dos habitantes e, em particular, pelas experiências gastronómicas que oferece.

Os passeios devem ser feitos a pé, pois as vilas convidam a caminhadas e merece a pena sentir o ritmo calmo do campo.

Vila Fresca de Azeitão vale pelas ruas arranjadas e as habitações floridas, as oficinas de artesanato e o chafariz da vila. Vale ainda a pena uma incursão à Igreja de S. Simão, rica em património azulejar, característico do século XVII. O muro mesmo ao lado é um dos limites da Quinta da Bacalhôa, onde se localiza o palácio com o mesmo nome.

Seguindo para Vila Nogueira, o Palácio dos Duques de Aveiro, a Igreja de S. Lourenço, a Fonte dos Pasmados e casa-museu da empresa vinícola José Maria da Fonseca merecem, sem dúvida, uma visita com olhar atento. Mas o genuíno encanto da vila está nas ruas que cheiram a campo, com várias lojas de artesanato, nomeadamente de latoaria, a enfeitar os passeios com os produtos em venda.

A Praça da República, mais conhecida por Rossio, onde se encontra uma estátua de homenagem ao poeta e pedagogo azeitonense Sebastião da Gama, é um aprazível ponto de lazer, sombreado por altos plátanos.

Perca-se ainda nas restantes ruas, por exemplo na tranquila Rua de Aldeia Rica, onde um intenso cheiro a flores inebria todos os sentidos. Entre numa das pastelarias e saboreie um dos doces tradicionais, dos quais sobressaem as tortas e “esses” de Azeitão.

 

Mourisca e Estuário do Sado

Um bom ponto de partida para se começar a conhecer a Reserva Natural do Estuário do Sado é o Moinho de Maré da Mourisca que representa um testemunho secular de como o Homem adaptou as forças naturais em proveito próprio.

Esta sugestão recai num trajecto de carro, mas é pertinente lembrar que há empresas que desenvolvem várias actividades de lazer no estuário.

A comunidade de roazes-corvineiro é um dos ex-líbris dessas ofertas turísticas, que propõem diferentes passeios no rio para observação daquela que é uma das poucas comunidades de golfinhos sedentárias no mundo.

Ao retomar a via de acesso do Moinho de Maré, siga até à Estrada Nacional 10, em direção ao Pontal de Musgos, de onde se tem um vislumbre de uma vasta área do estuário.

A observação da fauna e flora é, de resto, um dos pontos de maior interesse, com a oportunidade de se avistar, consoante a época, pernas-longas, flamingos, águias-sapeiras ou cegonhas-brancas.

Na Reserva Natural do Estuário do Sado encontram-se várias salinas, testemunho da importância que a indústria da extracção do sal teve outrora na área.

Toda esta zona se destaca pela riqueza e variedade ecológica, pelo que vale bem a pena partir à aventura e explorar os imensos caminhos e pequenas estradas que a compõem.

Onde dormir

+ info

O que fazer

O que comer

+ info

Roteiro

+ info

01marAll Day02abrDia Mundial do Teatro - ATIVIDADES A CONFIRMAR

01marAll Day02abrDia Mundial do Teatro - ATIVIDADES A CONFIRMAR

05abrAll DayEvent Cancelled7.º Safari Fotográfico - ATIVIDADE SUSPENSA

14mai(mai 14)00:0017(mai 17)00:00Feira Náutica

21maiAll Day24Festival de Música de Setúbal 2020

29mai(mai 29)00:0031(mai 31)00:00Setúbal Wine & Flavours '20

junFesta da Ilustração

10jun(jun 10)00:0014(jun 14)00:00EXIB Music '20

25julAll Day09agoFeira de Sant'iago 2020

25julAll Day09agoFeira de Sant'iago 2020

  • 155
  • 4
  • 261
  • 7
  • 75
  • 2
  • 106
  • 0
  • 135
  • 1
X